26-03-2017 Prostituição um trabalho para as filhas dos outros detalhes »

É uma Associação espantosa que tem a porta aberta para acolher as mulheres que precisam de ajuda, nos caminhos da rua que percorrem constantemente. Os companheiros também podem bater à porta, podem entrar, há sempre alguém que escuta, compreende, respeita e descobrem caminhos ainda não andados e que são salvadores. ( Padre Vítor Feytor Pinto)


Aos 14 anos vim para a Europa. Fui posta numa casa com outras raparigas. Obrigou-me a despir. E fez tudo, mas tudo o que quis de mim. Chorei, gritei, implorei. Nada. Ele foi indiferente. Indiferente não. Sorria e os olhos brilhavam. Eram de vidro pensei.               saber mais